EVENTO REALIZADO
Este fórum foi realizado no dia 20 de março de 2016.
Discussões sobre a origem do Universo e da vida sempre estiveram presentes nos diversos círculos da sociedade ao longo dos tempos. Para muitos, um mistério, para outros uma questão apenas de conhecimento científico, para outros ainda uma religião. Entretanto, em qualquer que seja o caso, trata-se de uma questão de identidade e fé. Quem somos? Quais nossas origens? Existiu realmente um criador, ou somos apenas resultado do acaso?
Diante de questões como estas, o Instituto Nova Semente juntamente com a Igreja Adventista Do Sétimo Dia, promoveu no dia 20 de março de 2016, das 10h às 16h, no Espaço Nova Semente, o Fórum Começos, que nessa edição, abordou o tema da “Criação”. O evento reuniu estudiosos do tema nas áreas de teologia e filosofia, como o Reinaldo W. Siqueira, Edson M. Nunes Jr, Tiago Arrais, Fabiano R. Mendes e Hiran E. C. Jacobini.
O evento objetivou trazer um olhar sobre as narrativas bíblicas que remontam os relatos da criação, dentro de uma perspectiva teológica e filosófica cristã.
Assista o
Fórum Começos: Criação
na integra.
Acesse nosso canal no Youtube.
Apresentação dos Oradores e Temas
Edson M. Nunes Jr.
Possui graduação em Letras e Teologia pelo Centro Universitário Adventista de São Paulo, fez especialização em Teologia Bíblica na mesma instituição e mestrado em Letras, na área de Estudos Judaicos na Universidade de São Paulo (USP). Atualmente é professor de ensino superior do Centro Universitário Adventista de São Paulo e doutorando em Letras (Estudos Judaicos) na Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Teologia, com ênfase em Bíblia Hebraica. Atua, principalmente, na seguinte linha temática: Bíblia Hebraica, Hebraico Bíblico, Poesia Hebraica Bíblica, Narrativa Bíblica, Teologia da Aliança e Diálogo Inter-Religioso.
"Gênesis 1, Forma e Conteúdo"
Prévia: "Genesis começa com duas seções principais: Capítulo Um que é uma seção basicamente única e o verso 1 até o capítulo 2 verso 3 depois a gente tem uma segunda seção no capítulo 2 verso 4 até o final do capítulo 4. A narrativa de gênesis 1, em particular, que termina no 2 verso 3, ela é considerada por muitos não só teólogos, mas literatos, ela é considerada umas das narrativas mais bem construídas, um dos textos mais bem construídos de todos os tempos. Ele é cheio de peculiaridades, é uma coesão interna fantástica, uma série de relações importantíssimas que é o que a gente precisa entender e explorar para entender o que vai vir depois. Genesis 2 até 4 forma uma segunda seção de uma série de assuntos que vão se repetir depois no texto bíblico, mas entender Gênesis 1 é fundamental porque é uma introdução geral a tudo o que vai vir depois." - Edson M. Nunes Jr.
Reinaldo W. Siqueira
Doutor (PhD) em Teologia pela Andrews University (EUA), graduado e pós-graduado pela Faculté Adventiste de Théologie (França), e atualmente é coordenador do curso de teologia do Centro Universitário Adventista de São Paulo (UNASP), Campus Engenheiro Coelho e professor na área de Teologia, com ênfase em Teologia Bíblica, atuando principalmente nos seguintes temas: Bíblia Hebraica, línguas bíblicas (hebraico, aramaico, grego), exegese bíblica, judaísmo e raízes judaicas do Novo Testamento.
"Gênesis 2-4:25, Outro Relato da Criação Distinto e Oposto"
Prévia: "Ao começarmos a ler a Bíblia, o relato da criação da Bíblia que se encontra em Genesis 1 e Genesis 2 o leitor ao ler com detalhe ele talvez fica chocado com uma realidade que é aparente no texto. Genesis 1, capítulo 2, verso 1 até o 2, 3 é um bloco bem coeso da criação, ele é bem interessante e lindo na estrutura, tem uma forma maravilhosa, mas, daí quando você continua a ler o texto bíblico a partir do verso 4 do capítulo 2 aparece uma realidade totalmente surpreendente, um outro relato da criação, um relato contraditório ao de Genesis 1, um relato totalmente contrário aquilo que é declarado anteriormente, por exemplo em Genesis 1 diz que o mundo no início era totalmente coberto por água, já em Genesis 2 verso 4 ele diz que o mundo era um deserto Em Genesis 1 diz que o homem foi o último ser a ser criado a ser criado por Deus. Já em Genesis 2 diz que o homem foi criado antes dos animais, e que os animais foram criados e trazidos a ele por Deus já quando ele tinha sido feito, criado. Genesis 1 diz que o homem e a mulher foram criados num mesmo momento juntos, já Genesis 2 diz que não. Primeiro foi criado o homem e depois foi criado a mulher e entre as duas criações existe um espaço de tempo bem grande. Afinal, são dois relatos contraditórios da criação? São duas coisas opostas na Bíblia logo no início da Bíblia? Sobre esse tema da criação essa aparente disparidade no entanto, ela parece ter resposta quando nós analisamos tanto a forma do livro, do texto como também sua terminologia usada e a função de Genesis 2, verso 4 em diante. Dentro do livro de Genesis. E aí eu gostaria de convidar você a analisarmos juntos a aprofundarmos nesse problema e talvez encontrar respostas que a gente não tinha pensado antes acerca delas." - Reinaldo W. Siqueira
Fabiano R. Mendes
Pós-graduado em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP) e fez sua graduação na Universidade Adventista de São Paulo. Atualmente é pastor sênior da Igreja Adventista Nova Semente na cidade de São Paulo.
"Criação e Criador, Jesus e os Relatos de Gênesis"
Prévia: "Sempre que a gente vai estudar um texto a gente se preocupa com duas coisas fundamentais: O que o autor tinha em mente quando escreveu, quando produziu aquele texto e a segunda coisa é o que o primeiro leitor, o leitor original destinatário do texto compreendeu daquelas palavras. Quando a gente vai pros relatos bíblicos da criação, a gente tem um componente de tempo que atrapalha muito a compreensão, nós estamos muito distantes do autor original e do primeiro leitor. É necessário fazer uma viagem ao tempo, entrar no texto e compreender o significado dele no próprio ambiente. A isso chamamos de exegese. Agora imagine que é possível uma conversa com o autor, muito tempo depois, refletiu sobre o texto e vai comentar sobre o texto que ele havia escrito antes, você imagina que é possível compreendemos melhor o que ele tinha em mente. É isso que nós vamos fazer nessa palestra ao olharmos Jesus em seu ministério aqui na Terra, tanto tempo depois ele que é o grande autor das escrituras, retomar o tema da criação, como Jesus se referiu aos textos antigos de Genesis e outros textos da Bíblia que falam sobre a criação." - Fabiano R. Mendes
Tiago Arrais
Doutor (PhD) em Antigo Testamento e Filosofia pela Andrews University, onde também cursou seu mestrado. Fez sua graduação em teologia no Centro Universitário Adventista de São Paulo onde atualmente é professor de religião e filosofia.
Criação, Criacionismo, e Nosso Evitável Desinteresse Pelo Texto"
Prévia: "A primeira questão que a gente tem que levar em consideração, é a importância do estudo dos três primeiros capítulos da Bíblia ou das narrativas da Criação e da Queda. Pra mim existem, pelo menos, três motivos da importância de estudar esses primeiros capítulos da Bíblia. O primeiro deles é claro é que os pilares, sobre o qual a Bíblia inteira vai ser construída, se encontram nos primeiros três capítulos da Bíblia. Eles não são apenas capítulos introdutório Eles estabelecem o fundamento no qual toda Escritura bíblica vai ser fundamentada depois. Em outras palavras, a narrativa bíblica elas desenvolve nos ritmos da criação. Vem o dilúvio, e isso é um retorno, é a criação se desfazendo, na parte de êxodo é a criação se refazendo.com a multiplicação das pessoas, então a narrativa bíblica inteira vai seguir os parâmetros estabelecidos nos primeiros capítulos da Bíblia, em Gênesis 1-3. O segundo motivo é o que Eclesiastes diz: “aquilo que foi é aquilo que há de ser”, no futuro. Então pra entender a realidade diante de nós, não só do agora, mas, do futuro, é necessário a gente olhar pra trás, é necessário a gente considerar aquilo que Desfez no passado. É necessária a gente considerar aquilo que Ele estabeleceu como a ordem, como o ideal de perfeição e enxergar a realidade tanto no presente quanto no futuro, de acordo com essa ótica, é claro! Então aquilo que foi e é aquilo que há de ser, então olhar para Gênesis 1 é uma coisa extremamente importante para gente encarar realidade do agora e do futuro. E talvez um ultimo motivo se encontre na simples realidade da memória. Na realidade da Bíblia, memória, é um conceito, uma ideia, uma forma de vida central, porque isso afeta completamente todas as coisas. Como acabei de dizer,: o que foi é o que há de ser, mas também o louvor e adoração a Deus no presente e no futuro, são baseados naquilo que Ele fez no passado. portanto, considerar as ações dEle na criação é extremamente fundamental pra gente mais uma vez, entender a importância da memória. Como a memória se relaciona com aquilo que a gente está vivendo agora, e como a gente enfrenta o futuro também. Então pra mim esses três motivos, três razões, mostram como é importante a gente considerar aquilo que os três primeiros capítulos da bíblia tem a dizer pra nós sobre o que aconteceu no passando e como enfrentar a realidade agora e no futuro." - Tiago Arrais
Hiran E. C. Jacobini
É pós-graduado em Teologia Bíblica pela Universidade Adventista de São Paulo (UNASP/2010), universidade onde também fez sua graduação (2002). Atuou como pastor associado no projeto especial da Igreja Adventista do Sétimo Dia, denominado Nova Semente, localizado na cidade de São Paulo/SP/Brasil, entre os anos de 2010 e 2012. Nesse período criou e implementou o Programa COMEÇOS, um programa exclusivo de estudo da Bíblia. Em 2013 atuou como pastor associado na Wimbledon International Seventh-day Adventist Church, na cidade de Londres/UK. É um dos criadores e idealizadores do “Heroes The Game” um jogo para dispositivos móveis que tem como objetivo promover o conhecimento dos heróis da Bíblia. Atualmente, reside no Brasil, na cidade de São Paulo onde novamente desenvolve seu ministério junto ao projeto Nova Semente, atuando diretamente no programa de estudo da Bíblia que criou, entre outras atividades.
"Apocalipse 14:6, Criação, Evangelho e Identidade"
Prévia: "Mesmo levando em conta toda estrutura simbólica do livro do apocalipse, o capitulo 14 apresenta uma mensagem que traz em seu conteúdo uma realidade ou fato, questionado por muitos cristãos da atualidade. É a notícia de que existe um evangelho eterno. É a palavra dita e que tornou possível toda realidade humana. É a palavra do criador que traz a luz, a vida e a restauração onde quer que ela essa palavra seja ouvida. Algo que deveria ser a base da experiência religiosa cristã, mas essa é um mensagem desprezada. Esquecemos de que fomos feitos a imagem do Criador, e substituímos essa imagem por outra idealizada por nós mesmos, e com isso nos tornamos o centro de nossas vidas. E assim, nos tornamos essencialmente idólatras, idólatras de nós mesmos, e desprezamos aquele que fez ser possível a vida. E aqui consiste a mensagem do evangelho eterno. Uma mensagem que diz que a plenitude da vida só é possível mediante a reconstrução da imagem na qual fomos originalmente criados, e ao reconhecimento de que não somos deuses, somos apenas humanos." - Hiran E. C. Jacobini
Nesta semana, série "Selamento".
Inscreva-se para acessar nosso conteúdo online.